(João Sampaio/Quide Grande/Elton Saldanha)
Intérprete: Elton Saldanha

Mas que destino bagual o meu
mas que destino de louco
eu ando de festa em festa
sovado a lombo de potro
cantando e me divertindo
e olhando a mulher dos outros.

Foi num rodeio
que eu cheguei de madrugada
festança buena
tinha pealo e gineteada
fui convidado
prá cantar neste fandango
e tirar as “cosca”
“duma” tropilha aporreada.

A meia tarde
foi encerrada a potrada
bicho criado
todos de venta rasgada
a cada pealo eu botava de cucharra
era um bicho que caía
e se apartava da manada.

Já era noite
quando os baile começava
e lá nas casas
provocavam camotins
meu basto novo
já tinha levado a breca
e uma boneca jogava beijos prá mim.

De vez em quando
eu cruzava frente ao rancho
cortando um maula
e atando ele num mango
e pelas frestas
eu enchergava uma bandona
e aquela dona se desdobrando num tango.

Vamos bailar senorita
yo soy de Buenos Aires
… Mande parar el bandoneon.

O cavalo se ergueu num sopetão
e o ginete dançador
bateu com os beiços no chão.

Tangolomango-Tangolomango
não vou dançar porque caí dentro dum valo
aquela dona tá lá dançando com outro
e eu vou dançando nas patas deste cavalo.

Foi o tango – foi o mango
assim eu fiz a minha fama
pela janela eu abanava prá uma dama
foi o tango – foi o mango
assim eu amansei aquele potro
pela janela eu olhava a mulher dos outros. 

Baixo: Paulo Deniz Júnior
Acordeon: Paulinho Cardoso
Violão: Lúcio Yanel
Sax soprano: Marcelo Ribeiro
Vocal: Alemão do Bororé
Arranjo: Coletivo

 

TANGO CHUCRO OU TANGOLOMANGO
Classificado como: