O DOM DA ARTE

Tal qual os primeiros passos, Ia juntando pedaços Acerca daquele tema. Qual não fora o privilégio, Ver no mural do colégio Estampado o tal poema?! E vieram outros escritos, Nesse mistério infinito Que habita a inspiração… E o menino poeta Se fez homem de alma...

MUITO ALÉM

Nem tudo que eu penso é aquilo que a rouca boca me diz Nem tudo que eu faço é arte que arde e me faz tão feliz.   O som teima e se queima nas chamas que o vento tirou pra dançar. A gente sente e pressente tudo aquilo que um dia virá.   Eu me perco no começo...

MORADA DO TEMPO ANTIGO

Um rancho longe da estrada que só aparece a cunheira, bem sombreado e guarnecido pela cuscada ovelheira, um banco antigo e comprido todo feito de madeira, pra acomodar as visitas junto à sombra da figueira. Pra enxergar todo o açude tem que subir na cancela, depois de...

ME CHAMO VERSO E CONFESSO

Me chamo verso e confesso Perdi-me em muitos rincões Ando na boca e nos sonhos Que acendem lua e fogões Vivo em estrada e galpões Conheço o campo e a cidade Se me despeço, a saudade Remalha em mil corações…   Por rumo trago a esperança Apresilhada na voz;...

LITORÂNEO

Raiou a luz de uma primavera Pelas querências do nosso lugar, Nessa porfia de histórias tantas Há um verso novo para celebrar:   – Amigo, que ventos o trazem Nesse rancho simples de pescador? – Eu vim unir os meus versos de campo Com os teus poemas de...