Letra: Eugênio Gomes 
Música: Eugênio Gomes
 
Interpretação: Claire Winck Barcelos

Estão dizendo que sou um chorão. 
Qualquer cinema, uma canção,
 
dizem que eu choro à toa
 
Porém de fato um dia desses vi teu retrato
E deu um nó, uma tristeza boa
Meu predileto violão, eu nem sarei mais dela não
Segura que hoje eu vou chorar
Havia um céu ou mais: havia sete céus
Azuis, vermelhos, amarelelos céus
Ma analisava, costurava,
 
cozinhava muito bem
 
Me dava (à) luz assim corno ninguém
A vida diminuta cabe toda num só prato
Vem jantar morena enxuta. Vem tirar retrato
Nosso passeio é longe, nem vai ter mais fim
Se trepidar segura em mim
 
Que eu sou tão seu amigo
Grudei assim contigo feito um carrapato
Estão dizendo que sou um leão
Que bebo tanto e caço briga,
que chutei a mesa
Até quem diga que em sexta-feira enluarada
Eu cresço pêlo, cresço cada presa!
Não se apoquente, violão
Sou gente, não sou lobo não
Difícil é só se conformar
Havia um chão ou mais:
um chão mais outro chão
Que eu tanto arava e semeava em vão
Me agasalhava, se enroscava,
me beijava muito bem
Mas me embrulhava assim como ninguém
Da vida a parte fina raspei toda do prato
Que o melhor sumiu na esquina,
mas guardei retrato
Mundão velho de guerra, quantos anos tem
Esta estrada vai ou vem?
Se vai, eu vou com ela
Se vem, eu vou pra lua namorar a terra

Pandeiro e Efeitos: Giovanni Berti
Contrabaixo acústico: Clóvis Boca Freire
Violão: Toneco da Costa
 
Violão: Lenin Nuñes

RETRATO
Classificado como: