O vento parou se foi a ressaca
O mar se ajeitou, desejo ataca
Já vou lá soltar minhas redes
Barco parado, não mata a sede!
Olheiro apontou o rumo da ressolha
“us pexe” tão lá, coração bate forte
“Bamo estreá” nosso “terno” com sorte
Pronto “ontonte” , tá novinho em folha
Rapariga põe lenha no fogo
Esquenta a chapa pro revirado
Vai ter pirão, vai ter tainha
E um butiá lá do Pontal,
Bem curtido e gelado..
A voga dos remos um cabo na terra
E as redes pro “azuli”, com arte os proeiros
Soltam os ternos pro Norte e pro “Suli”
“despois” de “arriadas” “fizemo” um “volteio”
E a voga dos remos outro cabo “trazemo”
E a pulso na praia “puxemo” o lance
E aí Deus da o “lume” fechemo” o cerco
“Malhemo” o cardume
Olha lá só seu “miguéli”
Olha só que baitas tainhas
Ou Deus ouviu nossas preces
Ou cansou da nossa ladainha
Olha lá só seu “miguéli”
Que “mistério”, deu de “pamparra”
Vai ter “pila” pras bodas da Nica,
Enfim vai ter farra….
Vai ter farra…oooo vai ter farra
Vai ter “pila” pras “boda” da Nica
Enfim vai ter farra….

Ressolha – brilho do cardume nas ondas

RESSOLHA
Classificado como: