Vanera

Letra: Jorge Rodrigues
Música: Francisco Sherer
Intérprete: David Menezes Junior

Te “alembra” do JUVENAL,
flor de campeiro e ginete,
peão antigo dos FAGUNDES,
lá pras bandas do ALEGRETE?

Pois nem te conto!
O índio foi prá cidade
e “demudou” barbaridade,
tu talvez não acredite
que um taura grosso,
criado em beira de sanga,
resolveu “soltar a franga”
e hoje “atende por Judite”.

COISA DE LOUCO
COMO TEM DISSO HOJE EM DIA
NO TEMPO DAS “CASA VÉIA”
DESSE MAL NÃO SE SOFRIA
ONDE SE VIU
“HOME” DE BOCA “VERMEIA”
AS MELENAS MAL TOSADAS
E BRINQUINHOS NO “MOL DA OREIA”.

A parentalha
se fazendo de inocente
diz que é coisa que o destino
reservou pra o tal vivente.
e a vizinhança
fez até uma reunião
e chegou à conclusão
que a doença do infeliz
é um problema que entra e sai
sem deixar pista
ou é um vírus comunista
infiltrado na raiz

Mas a verdade descoberta finalmente:
— só pode ser picadura
de algum bicho semovente.

Jorge Rodrigues: violão
Francisco scherer: acordeon
Roberto c. Lemos: baixo