(Talo Pereyra e Mauro Moraes/ Robson Barenho))
Intérprete:Chico Sarat e Neto Fagundes

Em todas às manhãs,
solenemente,
ela inaugura uma ilusão.
Se der tempo ainda,
escova os dentes
e beija o amante de plantão.

Todas as manhãs,
mesmo as chuvosas,
ele homenageia com sonetos.
Ouve o noticiário, planta rosas
e convida o sol a um café preto.

Sei que essa morena,
quando acorda,
olha tudo atenta, qual vigia.
E se é dia escuro
pinta e borda
até resgatar a luz do dia.

Sei que esta canção
ainda é pequena
pra que eu dome, enfim, seu coração,
mas deve agradar a essa morena
que trabalha em volta do fogão.

Guitarra: Paulinho Fagundes
Baixo: Renato Mujeiko
Trompete: Jorginho do Trompete
Percussão: Ernesto Fagundes
Bateria: Juá Ferreira
Arranjo: Neto Fagundes

POÉTICA
Classificado como: