O homem busca nos livros a própria historia que faz

E sente enfim que está vivo pela saudade que trás

Procura os mesmos conselhos e pouco importa o preço

De tanto olhar no espelho já se conhece do avesso

 

E assim se perde aflito embora sempre no centro

Acende o próprio conflito que a alma sente por dentro

Por isso sempre reparte os rumos quando se solta

Pois a razão de quem parte não sobrevive na volta

 

O homem grita por terra semeia os sonhos que tem

Espera a vida que encerra e os frutos que dela vem

E a terra sofre e ressente a dor que o homem revela

Cobrindo o sono em silêncio de quem se mata por ela

 

O homem longe conhece a saudade de casa

Mas nela não reconhece-se e quer voar sem ter asas

E assim vagando e parado num rumo sempre infinito

O homem vai condenado em seu eterno conflito

 

O homem grita por terra semeia os sonhos que tem

Espera a vida que encerra e os frutos que dela vem

E a terra sofre e ressente a dor que o homem revela

Cobrindo o sono em silêncio de quem se mata por ela

 

 

O CONFLITO
Classificado como: