Ritmo: Milonga
Letra: Vaine Darde
Música: Lenin Nunes
Capão da Canoa e Sto. António da Patrulha

Milonga eu te abrigo 
Na tenda do pala
 
Te guardo na sala
 
Do meu coração.
 
Te levo comigo
 
No gosto do vinho
 
Na alma do pinho
 
Que habita o violão.
Milonga eu te chamo
 
Na hora do medo
 
Te sangro nos dedos
 
Que tecem canção.
 
Milonga de ofício
 
Te sofro na safra,
 
De arado e tarrafa
 
De peixe e de pão.
Milonga eu te sorvo
 
Na seiva do mate,
 
Te levo pra o catre
 
Sem medo e sem roupa,
 
E quando encanta
 
Despida palpitas,
 
Milonga bonita
 
Te beijo na boca.
Milonga tu és
 
O canto do galo
 
Espora e cavalo
 
Pra quem mais te quer.
 
Milonga constante
 
Tu és tudo isso:
 
É s dom e ofício
 
Guitarra e mulher.

Teclado: Vitor Peixoto
Violão: Goulart Ferreira
Violão: Lenin Nuñes
Flauta: Texo Cabral
Baixo acústico: Clóvis Boca Freire
Flauta: Zé Blanco

MILONGA CONSTANTE
Classificado como: