Letra: Miguel Bicca e Caeco Batista
Música: Mauro Moraes
Intérprete: Zé Caradípia

Os pais são filhos ou netos
De campeiros que emigraram,
argando a doma dos potros,
prá empurrar carros de mão;
Cambiaram seus campos verdes
Que viam ao clarear do dia,
Por léguas de sesmarias,
Cinzentadas de concreto.

Perderam o rumo das roças,
E a noção dos horizontes,
Pra se amontoar como ratos
Nas cabeceiras de ponte.

Quem teve doces na infância
Quando come não se suja,
Mas quem nunca comeu doces,
quando come se lambusa…

Caras magras lambusadas,
Olhos grandes regalados,
Prá “mesa dos inocentes”,
— Promessa que o povo faz —
E um verão de cigarras
No coração dos piás.

Imagens de santos velhos
Olham a infância no altar:
Anjos loiros transparentes,
Com asas pra não voar…

(Sobre tema do folclore gaúcho)

MESA DOS INOCENTES
Classificado como: