Raiou a luz de uma primavera

Pelas querências do nosso lugar,

Nessa porfia de histórias tantas

Há um verso novo para celebrar:

 

– Amigo, que ventos o trazem

Nesse rancho simples de pescador?

– Eu vim unir os meus versos de campo

Com os teus poemas de navegador

 

De tudo um pouco é o nosso litoral

É peixe, gado, tarrafa, laço,

Temos canoa, cavalo bom

E navegamos nesse mesmo passo.

 

– Então se achegue e vá puxando um banco,

Viola e gaita, pra inspirar a gente,

Na poesia dessas nossas vidas

Temos o dia inteira pela frente.

 

“O litoral de todos os gaúchos,

É  água e campo, é o nosso chão,

O mar azul reflete um novo dia,

Iluminando alma e coração.

 

No litoral de todos os gaúchos,

Somos os ventos sul e nordestão,

Irmãos de fé na mesma geografia,

Onde o rio grande é um só rincão!!!”

 

A primavera traz o maçambique,

Ternos de reis ao nascer do verão,

Tem no outono a divina fé,

E no inverno a festa de São João:

 

-Sou um campeiro preparando a doma,

És pescador a revisar as malhas,

Num rancho simples um chapéu de palha,

Laço e encilha vão juntar-se as tralhas.

 

– És laçador das canchas de areia,

Bombachas claras feitas de algodão,

Da mesma areia vem a cor das botas,

Nas pilchas simples desse nosso chão.

LITORÂNEO
Classificado como: