Letra: Otorino Covollo
Música: João Almeida Neto
Intérprete: Flávio Hansen

Estão sonando as guitarras
Num concerto de cigarras,
Orquestrando o amanhecer,
Quando trinam seus acordes,
Num bordoneio de vozes,
Sinto o pampa renascer.

Estas guitarras fronteiras
Mescla de pátrias bandeiras
Nas mãos simples do fronteiro,
Não renegam suas raízes,
Vão aflorando matizes
Neste rincão missioneiro.

A canoa vai e vem
suave nas águas desliza
Não há marco nem baliza,
No velho rio Uruguai,
E cantando pelo tempo
A canoa vem e vai.

Brasileiros e argentinos
Povoeiros e campesinos
Terra e seiva são iguais
Irmãos de laços e arados
Uma história de dois lados
Forjando o mesmo ideal.

GUITARRAS FRONTEIRAS
Classificado como: