Letra e música: Carlos Gomes
Intérprete: Ivânia Catarina

Ô de dentro, ô de fora
Louvemos a Nossa Senhora
Sikelel`iAfrika

Conta a lenda que por força do batismo cristão
Galanga virou Chico Rei pra desadorar Zambi, o Deus do pagão
No Kalunga, no Madalena, nas ondas que vão e vem
Malungos trazendo no peito tambores e a força que o negro tem

Os “bantus” presos nos tumbeiros cantavam pra Nossa Senhora
Pra São Benedito e pro sete-estrelo: cuidai de nós nessa hora
Galanga Ganga, nKosi ê, enricou no além-mar
Juntou sua tribo num terreiro e fez festa pra Zumbarandá

Foi com o ouro da Encardideira
Que salvou o seu filho Muzinga, foi aos nobres
E comprou, pra seus iguais de sangue e ideais, a alforria
A folia de reis começou

Celebram os seus ancestrais os negros bantos brasileiros
Com reis-meninos e rainhas, candombes, tamborzeiros
A Bandeira, a Coroa e todo o relicário
Maio, Outubro: meses de Nossa Senhora do Rosário

Foi com o ouro da pia de água-benta
Que comprou os colares de contas, os trajes bonitos
E enfeitou toda nação de reza e cantoria, som no tambor
A folia de reis começou

Glossário:
Sikelel´iAfrika = abençoe a África
 
Galanga = Nome do Rei do Congo
Kalunga = Mar
Madalena = Nome do navio que Galanga (Chico Rei) foi trazido para o Brasil
Malungos = Companheiros fieis até a morte
Encardideira = Mina de ouro comprada por Chico Rei
Bantu = nome que define uma lingüística de povos africanos
Tumbeiros = Nome dado pelos escravos aos navios que os transportavam
Sete-estrêlo = Grupo de estrelas da constelação de touro; símbolo de divindade
Ganga = Guerreiro de Zambi; sumo-sacerdote
nKosi ê = Unificador; guerreiro (nkosi = Senhor, Divindade)
Zumbarandá = A mãe mais velha, representa o início de tudo
Bantos brasileiros = Procuram manter no Brasil a cultura africana que celebra os ancestrais
Candombe = Um dos ritmos da congada.

Violão e vocal: Carlos Gomes
Percussão: Eduardo Sueit e Ton Zé

GALANGA REI
Classificado como: