Como se a vida fosse

uma folha em branco

que viraste agora

E com tuas mãos, enfim,

pudesses escrever

uma nova história

Tudo por fazer,

o mundo ainda tão novo

te pedindo a escrita

A boca sussurrando

a forma das palavras

que um dia serão ditas

 

Como se sonhasses

um engenho novo

reinventando o tempo

E desses o teu gosto

– a tua assinatura –

à arte desse invento

O horizonte aberto,

o sul, o norte incertos,

à espera dos teus passos

Na esquina ali em frente,

a esperar a gente

a paz de um novo abraço

 

Mistério de viver, o eterno renascer

a cada novo dia

O que virá, virá! (e sempre há de vir),

o futuro não se adia!

Mas escolher a fruta boa,a canção que  soa

O tom da nossa voz…

o que fazer de cada dia… Essa é a nossa poesia

Isso sim, pertence a nós!

 

Como se nascesses

para um novo mundo

neste exato instante

E as coisas simples

fossem doravante

as coisas importantes

Um afago, um beijo,

um abraço amigo,

um momento a dois

Porque o demais não conta,

o tempo das ausências

fica pra depois!

FOLHA EM BRANCO
Classificado como: