(Clenira Barbosa e Maurício Marques/ Clenira Marques)
Intérprete:Janna de Souza
Ritmo:Chamamé
Canguçu e Pelotas – RS

Sempre que olho em teus olhos,
Volto pra dentro de mim;
E encontro rastros do meu desalento,
Emoldurados por ti!

Então descubro o segredo,
Mas não revelo pra mim;
Que a minha alma em desassossego
Ainda clama por ti!

Abro as comportas das lágrimas,
Que estão represadas em mim;
E minha alma goteja, num pranto indevido!
Regando esta espera sem fim…

Então descubro o segredo,
mas não revelo pra mim;
Que minha alma em desassossego
Ainda clama por ti!

Abro as comportas das lágrimas,
Que estão represadas em mim,
E a minha alma goteja, num pranto indevido!
Regando esta espera…

Violão: Maurício Marques
Baixo: Rodrigo Reinhemer
Teclado: Eber Porto Barbosa
Saxofone e Flauta: Daniel Davilla Zanotelli.

ESPERA (A)
Classificado como: