Gênero/Ritmo básico: Chacarera Estilizada
Letra: Paulo Righi e Carlos Omar Villela Gomes (Santa Maria – RS)
Música: Piero Ereno (Jaguari – RS)

Um riso estranho (de arrepiar a alma!)
afoga o silêncio na noite estrelada;
E até a lua que fazia sala
se escondeu com medo dessa gargalhada.

Esses rumores que chegam do nada,
vêm encher de sombras o campo vazio;
Riso com jeito de alma penada,
assustando os homens com seu assovio.

Tem um fantasma recorrendo a noite,
a espalhar espantos do que não se viu;
As suas sombras têm jeito de açoite,
castigando o mato, rebelando o rio!

Um quero-quero se põe em alerta,
a fazer dueto com seu assovio;
É o vento forte que virou fantasma
congelando os ossos de quem não tem frio!

Há um fantasma pela madrugada
a mostrar suas garras pra quem não quer ver;
Olhos pequenos cuidam as janelas
sem baixar a guarda até o amanhecer.

O vento segue com suas correntes,
arranhando as tábuas e o santa-fé;
Quem sente medo não acha consolo
e não prega o olho, de orelha em pé!

Violão – Gabriel “Selvage”
Flauta – Texo Cabral
Bateria – Marcelinho Freitas
Baixo – Pierro Ereno
Teclado – Diogo Matos
Intérprete: Juliana Spanevello

 

DE ARREPIAR A ALMA
Classificado como: