Letra e música: João Correia 
Intérprete: João Correia
Ritmo: MPB/Frevo, Baião e Repente
 
Cidade: Rio de Janeiro – RJ

Seu delegado, invadiram o mercado
Desespero pra comer!
Quem é o culpado?
O mais interessado da miséria acontecer
Trem de intriga, me diz se isso é vida
Brasileiro meu irmão
Alma ferida empurram com a ferida
Inventando solução
Quem tem um conto?
 
Quem tem?
 
Quem tem um prato?
 
Quem vive roendo osso
 
Quem não sai desse buraco
 
Nervos de aço
Quem pra frente dá um passo?
 
Quem tem corda no pescoço
 
Quem tá apertando o laço?
Dona justiça fêmea da preguiça
 
Bicho ruim de trabalhar
 
Cheira carniça por cima desta terra
 
Urubu tende a voar
Vossa alteza me diga com franqueza
 
Qual caminho pra seguir?
 
Com toda pureza num balaio de incerteza
 
Tá difícil de sair
Negra verdade cartel de crueldade
 
Dilacera todo amor
 
Sangra a vontade cultivo de maldade
 
Tem remédio sim, senhor!
Gente na praça arrebite esta raça
 
Na garganta vive um pó
 
Telha vidraça uma pedra estilhaça
 
Andorinha não esta só
Sou brasileira sobrevivo ao negativo
Não tem mais adjetivo
Na palavra que eu falar
Quero motivo consciente positivo
Um frasco de corretivo
Tem arquivo pra queimar
É abusivo o poder do distintivo
Leva fama fugitivo
Incentivo a incriminar
Um curativo no pescoço corrosivo
Nada mais subjetivo
Coesivo pra mudar

Violão Caipira: João Correia
Pandeiro: Mimo Aires
Vocal: Otávio Segala

CORDA NO PESCOÇO
Classificado como: