PORONGOS

Os personagens da história Trazem seus nomes nos livros Mas os anais da memória Nunca lembram os cativos Que fizeram trajetória Nos horizontes nativos.   Qual era o nome do negro Que foi trazido do Congo Para morrer no degredo Onde o inverno é mais longo Levando...

ALGUM LUGAR ALÉM DE NÓS

Sim… Eu sou o sonho que se estende além de mim Sou a canção que tendo início não tem fim Depois que nasce ninguém sabe aonde vai   Sim… Nunca saber qual o motivo por que eu vim Mas prosseguir sempre sonhando mesmo assim A vida é o dom, a luz e o...

PORÇÕES DE TEMPO

Eu fiz um sonho para ela, Com cores de natureza morta Realidade paralela, Janela fingindo de Porta. 2X Na certa o ponto cego disso tá Nos símbolos que a gente guarda E não consegue mais efetuar Fica feito água parada O pesadelo é ele é o elo Medo que invade o sono...

A MESMA COR

SOLITÁRIA, NO GALPÃO, PARIU A NEGRA SOZINHA E NO SANGUE QUE A LEVOU CHORA SOLITA A NEGRINHA   Sem pai, sem mãe, sem arrimo, Foi crescendo a Deus dará Lindaça, flor de açucena, Olhos negros, boca larga, Mas era negra a menina E o Deus branco. O que dará?  ...

ENTRELINHAS

Traíram-me as entrelinhas de todos os meus poemas… Pois, nem mesmo eu sabia que a verdade se escondia nessas frestas tão pequenas. E, num gesto repetido, me pus a escrever assim: Entregando, a cada frase, o que havia de mais grave, ou de mais oculto, em mim....

BESTIÁRIO DA SOMBRA

A morte é um lobo à espreita: imóvel, mudo e pulsante.   (No olho, o gelo põe cores de quem domina, distante.)   A morte é serpente rasa e nos vive – de pequenos –   destilando em nossas veias o seu mais lento veneno.   A morte é um...