Abre a cordiona compadre,

que o sonho e a saudade te pedem bênção…

Tristeza e felicidade,

sensibilidade no toque da mão.

 

Pode ser uma gaitinha de botão

no entrevero da fumaça do galpão,

quando bate um coração apaixonado

a cordiona “ta” do lado sonorizando a paixão…

 

Uma lágrima caindo no sertão,

som de seca na canção de um Gonzagão…

É a sanfona traduzindo sentimentos,

emoção que vem de dentro, sanfoneiro coração!

 

Jogo do fole no bugio, xote e rancheira

e na vaneira a morena arrastando o pé.

A querência vem chorando em cada nota

grita do fundo da grota num costeiro chamamé!

 

O Seu Francisco, gaiteiro lá da fronteira,

repetiu á vida inteira, declarando seu amor:

– Salve a cordiona, que a alegria nos empresta,

ela é a rainha da festa e é sagrado o tocador!

ABRE A CORDIONA, COMPADRE!
Classificado como: